Santa Casa dá início ao Programa de Cirurgia Fetal com procedimento inédito no Rio Grande do Sul

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre realizou, no final de setembro, a primeira abordagem intrauterina de teratoma sacrococcígeo fetal do Rio Grande do Sul.
WhatsApp Image 2020-10-29 at 16.44.37

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre realizou, no final de setembro, a primeira abordagem intrauterina de teratoma sacrococcígeo fetal do Rio Grande do Sul. O procedimento cirúrgico, que consistiu no esvaziamento de cisto fetal por meio de uma punção guiada por ecografia, marcou o início das cirurgias intrauterinas do Instituto Materno-Fetal Celso Rigo. Trata-se de um centro único na América do Sul dedicado à saúde de gestantes e bebês, ainda na vida fetal, com a mesma estrutura funcional e organizacional de serviço existente em Barcelona, que chegou à Santa Casa pela iniciativa do cirurgião cardiovascular e diretor médico do Hospital da Criança Santo Antônio e do Hospital São Francisco Fernando Lucchese. O Instituto é coordenado pelo cardiologista pediátrico Marcelo Brandão da Silva e o Programa de Cirurgia Fetal foi desenvolvido seguindo as orientações da equipe catalã e coordenado pela médica Talita Michelletti Helfer, especialista formada em Barcelona. As atividades são realizadas em áreas desenvolvidas e equipadas especialmente para esta finalidade, localizadas no Hospital da Criança Santo Antônio e junto ao novo centro Obstétrico do Hospital Santa Clara, da Santa Casa.  

A gestante submetida ao procedimento recebeu o diagnóstico de teratoma sacrococcígeo fetal (um tumor grande na região do sacro e cóccix) enquanto fazia o pré-natal na sua cidade de origem, no norte do país, resultando em uma mudança para o Rio Grande do Sul para ser acompanhada por equipe especializada na Santa Casa de Porto Alegre. Segundo a especialista em cirurgia fetal, Talita Micheletti Helfer, a cirurgia é pouco frequente devido à raridade do caso: “Ela (a cirurgia) foi realizada para evitar complicações para a mãe e para o feto durante o nascimento. O maior desafio foi evitar a prematuridade, pois o procedimento em si pode representar um risco de perda de líquido amniótico ou de contrações antes do tempo”, explica. A intervenção, que levou em torno de 40 minutos, foi assessorada e acompanhada pelo médico responsável pela Medicina Fetal Barcelona Eduard Gratacós.  

O bebê, que estava com idade gestacional de 32 semanas quando passou pelo procedimento, nasceu no último dia 13. A equipe envolvida no caso, a partir do nascimento do bebê, é composta pelo cirurgião pediátrico Rafael Deyl e pelos neurocirurgiões pediátricos André Bedin e Jorge Bizzi, além da equipe da nova UTI neonatal da Santa Casa.

 

Texto e imagem: Assessoria de Imprensa Santa Casa

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on print
Print