Em nenhuma hipótese as orientações e dados divulgados devem substituir aquelas recomendadas individualmente pelo seu médico assistente.
Diminuir letra Aumentar letra
INFORMAÇÕES SOBRE O SEU CORAÇÃO

Entendendo o Colesterol - Seção 2
Dr. Fernando Lucchese

Hereditariedade
Meu avô, meu pai e agora eu !?


Os níveis do colesterol ruim, ou LDL, podem ser influen­cia­dos geneticamente. Os gens afetam a velocidade com que o LDL é produzido e removido do sangue. A tendência herdada da família para o colesterol alto se chama hipercolesterolemia familiar. Muitas vezes, quem tem esta genética desenvolve proble­mas cardíacos precocemente. Mesmo que não se tenha herdado essa tendência de co­les­terol total elevado, a genética pode influir especifi­ca­mente no nível do colesterol LDL.

Idade  e sexo
De olho no colesterol: da infância à velhice


As crianças, desde o nascimento, apresentam os melhores índices de correlação entre colesterol total e colesterol bom, o HDL, chegando muitas vezes a ter o colesterol bom acima de 80. Pode haver casos de crianças com colesterol alto por obe­si­da­de, fatores genéticos e outros. Jovens têm colesterol geralmente em níveis normais. Depois dos 40 anos, há tendência na queda do colesterol bom e no aumento do colesterol total.

Mulheres tendem a apresentar menor colesterol total e HDL mais alto, mesmo após os 40 anos. Têm, geralmente, HDL mais alto do que os homens. Depois da menopausa, no entanto, a tendência é ambos disputarem níveis mais altos de colesterol total.

Homocisteína... este inimigo você não conhecia

Homocisteína é um aminoácido que faz parte das proteínas, cuja concentração no sangue pode elevar-se, provocando doença arterial semelhante à causada pelo colesterol. O acúmulo de homocisteína no sangue é a deficiência de vitamina B6, de ácido fólico e de vitamina B12, todas do complexo B, encontradas principalmente em vegetais. A falta de ingestão, ou uma inabilidade genética em absorvê-las no organismo, ou a deficiência de absorção adquirida com o avanço da idade são as causas mais comuns. Tais vitaminas facilitam o metabolismo das proteínas, e a falta delas ou seu metabolismo inadequado terminam por permitir o acúmulo de homocisteína no sangue.

Síndrome metabólica: vários inimigos reunidos tentando destruí-lo

Para assustá-lo ainda mais, informo que existe um transtorno metabólico complexo, muito comum após os 50 anos, caracterizado pela disposição abdominal de gordura e pelo aumento da glicose no sangue por resistência à ação da insulina. É a chamada síndrome metabólica. O portador da síndrome metabólica tem risco de ataque cardíaco e derrame 3 vezes maior do que os indivíduos normais, com risco de vida é 1,5 maior.
 
Como já deu para perceber, são vários inimigos reunidos tentando destruir a saúde, e eles ficam mais perigosos quando alguma das situações abaixo é detectada.

 

  Obesidade abdominal                        (cm)
 
Homen            >102cm de circunferência
  Mulheres         > 88cm  circunferência abdominal

  Triglicérides (mg/dL)      acima de 150
 
  HDL - O colesterol bom (mg/dL)
 
Homens          menor do que 40
  Mulheres         menor do que 50

  Pressão Arterial (mm Hg)   
  igual ou maior do que 130/85
        
  Glicose (mg/dL)            
  maior do que 110
 
Como o colesterol afeta as nossas artérias
 
Já sabemos que o colesterol em excesso é o inimigo. Mas que armas ele usa? Como ataca? Nossos órgãos mais vulneráveis são nossas artérias. É justamente aí que o colesterol ataca.  Na realidade, o ponto fraco do nosso organismo é a camada de células que reveste internamente nossas artérias: o endotélio.

O endotélio é um tapete de células que forra a parte interna dos vasos. É uma célula ao lado da outra em uma única camada, mas extremamente ativa em produzir substâncias importantes que evitam a coagulação do sangue circulante ou que provocam a coagulação quando o vaso se rompe.

Se conseguíssemos “varrer” todas as nossas artérias e fazer um “pacote” com as células do endotélio, teríamos 3 a 4kg de células, não mais do que isso. Pois esse pequeno pacote, quando não funciona bem, permite que as gorduras acumulem-se nas artérias e que a aterosclerose ataque e obstrua essas artérias, provo­cando lesões cardíacas e cerebrais fatais.

O endotélio é um dos órgãos mais importantes do corpo humano, pois é responsável por provocar metade das mortes atualmente.  A aterosclerose, essa epidemia que afeta nossas artérias, é res­ponsável por mais de 1 milhão de mortes anuais nos Estados Unidos. Ou seja, uma cidade do tamanho de Porto Alegre desa­parece a cada ano por lá, por causa dessa doença. É no endotélio que tal doença se estabelece.

Aqui no Brasil são mais de 600 mil mortes, ou seja, uma Ribeirão Preto que se vai a cada ano.

No Livro Desembarcando o Colesterol, de autoria do Dr. Lucchese, esses e outros temas são amplamente abordados