Em nenhuma hipótese as orientações e dados divulgados devem substituir aquelas recomendadas individualmente pelo seu médico assistente.
Diminuir letra Aumentar letra
INFORMAÇÕES SOBRE O SEU CORAÇÃO

Entendendo o Colesterol - Seção 1
Dr. Fernando Lucchese

Colesterol? Que bicho é esse? Você já parou para pensar?

•  O colesterol, uma substância cerosa com aspecto amarelado de gordura, é usado pelo corpo inteiro para que este funcione normalmente
•  O corpo produz o colesterol no fígado e o utiliza para produzir hormônios, vitamina D e ácidos biliares, que são armazenados na vesícula e ajudam na digestão de gorduras ingeridas na alimentação
•  Ele está presente também nas células do corpo. É encontrado nos músculos, no cérebro, nos nervos, na pele, no fígado, no intestino e no coração
•  Mas só é preciso uma quantidade pequena para suprir essas funções. Se há muito colesterol no sangue, o excesso se deposita nas artérias.

Colesterol não dá em árvore

O colesterol que ingerimos está em vários produtos da natureza, os quais você deve conhecer para poder controlar a quantidade diária que ingere. Mesmo que coma pequena quantidade de colesterol, seu fígado se encarrega de produzir o resto. Os alimentos que podem aumentá-lo são provenientes de animais, como os ovos da galinha, a carne de gado etc.

Fatores que influem sobre o nível de colesterol no sangue

Você já sabe o que é colesterol, sabe que ele é produzido em seu fígado, responsável também por removê-lo. Às vezes, seu fígado  produz colesterol demais ou remove de menos. Neste último caso, ele se eleva no sangue, com conseqüências desastrosas. Mas há outros fatores que influem no aumento de sua concentração.

O que se come

Obviamente, o nível de colesterol no sangue está intimamente relacionado com o que comemos.

Estresse

•  O estresse a longo prazo pode elevar os níveis de colesterol de várias formas. Por exemplo, pode modificar nossos há­bi­tos alimentares e provocar compulsão pelos ali­mentos ri­cos em gordura
•  O estresse também ativa o metabolismo das gorduras, levando ao aumento do colesterol produzido pelo fígado (chamado “endógeno”)
•  O estresse ainda pode aumentar a pressão arterial, agravando assim as conseqüências do colesterol LDL elevado, ao aumentar sua deposição nas paredes das artérias

Atividade física / exercício

Exercício físico regular pode baixar o colesterol ruim, o LDL, e aumentar o colesterol bom, o HDL.

O que se bebe

•  O consumo de bebidas alcoólicas, em pequenas quanti­da­des diárias, pode aumentar o HDL, mas não está provado que baixe o colesterol ruim, o LDL
•  Mas não há certeza de que o consumo de bebida alcoólica diminua o risco de doenças cardíacas. O que está provado é que o excesso pode cau­sar danos ao fígado e ao músculo cardíaco, além de au­men­tar a pressão arterial e os trigli­cérides
•  Por causa desses riscos, não se deve usar bebidas alcoó­li­cas para a prevenção de doença cardíaca
•  O vinho tem características diferentes das demais bebidas alcoólicas e será discutido em capítulo específico, mais adiante. É a principal exceção à regra acima, espe­cial­men­te por conter pequena quantidade de álcool, além de possuir outras substâncias benéficas, como os flavonóides

Excesso de peso

•  Com o excesso de peso, os níveis de colesterol ruim, o LDL, tendem a elevar. O excesso de gordura é depositado no corpo como triglicérides. São as dobrinhas (pneuzinhos) e a protuberância do abdômen, que todos nós temos a tendência de acumular, após certa idade
•  Com a perda de peso, diminuem os triglicérides e aumenta a produção do colesterol bom, o HDL


Na seção Produçãoo Cientíica - Livros deste site, você encontra mais informações sobre esta obra Alimentos animais ricos em gordura saturada Obesidade e sedentarismo