Em nenhuma hipótese as orientações e dados divulgados devem substituir aquelas recomendadas individualmente pelo seu médico assistente.
Diminuir letra Aumentar letra
INFORMAÇÕES SOBRE CIRURGIA DO CORAÇÃO

Cirurgia de Válvula Cardíaca - Parte 1
Dr. José Dario Frota Filho

O CORAÇÃO

Como funciona o coração?


O coração é um órgão muscular, com aproximadamente o tamanho de um punho fechado, localizado na porção central esquerda do tórax. Sua função é bombear sangue para todos os tecidos do corpo por meio de uma rede de vasos sangüíneos. O lado direito do coração bombeia sangue para os pulmões, local onde o mesmo é oxigenado. O lado esquerdo, que recebe o sangue contendo oxigênio, o bombeia para o resto do corpo.
 
POR DENTRO DO CORAÇÃO

Câmaras e Válvulas do Coração


O coração contém quatro câmaras ou compartimentos. Bombeia sangue como resultado da  contração, impulsionando-o para fora de suas câmaras, e do relaxamento, permitindo que entre em suas câmaras. As duas câmaras superiores são chamadas de átrios e recebem o sangue que retorna do corpo pelas veias. As duas inferiores são chamadas de ventrículos e impulsionam o sangue para fora do coração pelas artérias. 

Os dois átrios são câmaras condutoras de sangue, mas contraem-se suavemente para reforçar o envio do sangue para o interior dos ventrículos. Já os ventrículos contraem-se fortemente para impulsionar o sangue para o pulmão e para o resto do corpo. As câmaras do lado esquerdo precisam gerar pressões maiores (trabalhar mais) para impulsionar o sangue e os fluidos para o corpo todo. Por isso, o lado esquerdo do coração é mais musculoso que o direito.
  
 
Válvulas Cardíacas Saudáveis e Normais
  

As válvulas cardíacas humanas são estruturas notáveis. São membranas, de tecido fino como papel, presas à parede do coração,  que abrem e fecham a cada ciclo cardíaco (batimento), dia após dia, ano após ano. Elas suportam aproximadamente 80 milhões de aberturas e fechamentos por ano, ou 5 a 6 bilhões ao longo da vida. Em cada batimento há uma impressionante demonstração de força e flexibilidade.
 
Estrutura e Localização 

As válvulas cardíacas são estruturas que permitem ao sangue fluir apenas em um sentido.  Elas são formadas de finos folhetos de tecido resistente, ancorados a um orifício ligado ao miocárdio. Há quatro válvulas cardíacas. Duas dessas válvulas são chamadas de válvulas atrioventriculares (AV). Elas controlam o fluxo sangüíneo dos átrios para os ventrículos, e impedem que o sangue flua no sentido contrário. A válvula AV do lado direito é chamada de válvula tricúspide. O nome tricúspide refere-se aos três folhetos de tecido que a formam. A válvula AV do lado esquerdo é chamada de válvula mitral ou bicúspide, por ter dois folhetos e lembrar uma mitra (que os bispos usam na cabeça).

As duas outras válvulas cardíacas, aórtica e pulmonar, são válvulas de saída e também chamadas de válvulas semilunares, pois seus folhetos têm o formato de meia-lua. Elas controlam o fluxo sangüíneo para fora dos ventrículos. A válvula aórtica está localizada na parte superior do ventrículo esquerdo (entre o ventrículo esquerdo e a aorta). A válvula pulmonar está localizada entre o ventrículo direito e a artéria pulmonar. As válvulas mitral e tricúspide são substancialmente maiores do que as válvulas aórtica e pulmonar.

 

Os sons característicos do coração (`tum, ta’) são causados pelo fechamento das válvulas cardíacas: o primeiro é causado pelo fechamento das válvulas mitral e tricúspide e o segundo, das válvulas aórtica e pulmonar.
 

Função das Válvulas Cardíacas

Uma válvula perfeita é aquela que não apresenta obstrução, permitindo que o sangue flua livremente em um sentido. Ela deve se fechar completa e rapidamente, não permitindo que o sangue flua em sentido contrário (regurgitação). A regurgitação de fechamento é o fluxo inverso por meio da válvula no momento do fechamento dos folhetos (cúspides); a regurgitação por vazamento é o fluxo inverso entre as cúspides quando elas estão fechadas. Em válvulas normais, não deve haver regurgitação por vazamento.

A relação orifício-anel é a proporção entre a área de abertura da válvula e o diâmetro do anel em torno da válvula. Em uma válvula ideal, essa relação deve ser 1:1.

Quando uma válvula cardíaca abre total e simetricamente, o sangue flui através dela de modo suave. Quando isso não ocorre, o fluxo sangüíneo pode se tornar turbulento e ter áreas de estase (ver glossário) ou estagnação. Esse tipo de fluxo sangüíneo pode resultar na formação de coágulos.  Também pode ocorrer regurgitação quando uma válvula cardíaca não se fecha rápida ou completamente.

Quando uma válvula cardíaca se torna defeituosa, isso pode resultar em:
•    estenose (estreitamento da válvula)
•    regurgitação (válvula com vazamento)
 

Estes problemas podem ocorrer em apenas uma das válvulas ou em mais de uma válvula,  e ainda em diversas combinações de estenose e regurgitação.
 


Figura 1 - Posicao anatomica das valvulas cardí­acas Figura 2 - Posicao anatômica das válvulas cardíacas Figura 3 - Válvulas mitral, tricúspide e aórtica vistas num corte longitudinal do coração