Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

06/07/2010
Temperatura fria e coração

Mudanças de temperatura do ambiente estão associadas com aumento do risco cardiovascular e respiratório, mas será que também modificará os marcadores inflamatórios e de coagulação do sangue?

R. Hampel e colaboradores epidemiologistas da Universidade Neuherberg na Alemanha investigaram a associação entre temperatura e vários marcadores no sangue em pacientes com doença arterial coronariana (DAC) e doença pulmonar (DP).

Os estudos foram realizados durante dois invernos consecutivos com coletas de sangue de 57 pacientes com DAC e 38 pacientes com DP. Os dados sobre as características clinicas do paciente e história da doença foram coletadas no início da pesquisa. Os dados meteorológicos foram obtidos nas redes locais. Apenas dois pacientes tinham diabetes.

A temperatura média diária do ar variou entre -13ºC e 16ºC em ambos os períodos. A diminuição de 10ºC na temperatura média de 5 dias causou um aumento no número de plaquetas (% de mudança na média: 3,0 %) e fibrinogênio (5,5 % ), nenhuma alteração na proteína C reativa em pacientes com DP, e uma diminuição da proteína C reativa em pacientes com doença arterial coronariana.

Um aumento de 2 dias na temperatura causou uma diminuição do fator VII da coagulação do sangue. A redução foi observada em pacientes com doença arterial coronariana (4,9 %), enquanto que os doentes com DP não mostraram nenhum efeito.

Os autores deste estudo sugerem que a diminuição da temperatura está associada a diversas alterações nos parâmetros hematológicos. As interações complexas de marcadores no sangue em baixa temperatura podem contribuir para a associação observada entre o frio e a mortalidade e a piora da doença cardiovascular e pulmonar.

Autor: Occup Environ Med. 2010 Jun; 67:408-16