Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

22/01/2018
Pesquisa sugere que pacientes com fibrilação atrial sejam avaliados periodicamente

shutterstock eletro.jpg

Crédito da imagem: Shutterstock

Um estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology recomenda que pacientes com fibrilação atrial – um tipo de batimento cardíaco irregular que aumenta o risco de acidente vascular cerebral –, visitem seu especialista periodicamente para avaliar possíveis mudanças no tratamento.

Os pesquisadores analisaram os dados de mais de 31 mil indivíduos de Taiwan, todos com fibrilação atrial e baixo risco cardiovascular. O risco foi medido pelo escore CHA2DS2-VASc, que inclui fatores como insuficiência cardíaca, pressão alta, diabetes e eventos cardíacos prévios. Os escores de risco variam de 0 a 6 e, quanto maior a pontuação, maior o risco de acidente vascular cerebral.

No início do estudo, a pontuação média de risco entre os pacientes foi de 1,29, valor que indica baixo risco de AVC. No entanto, ao final dos 20 anos de acompanhamento, o índice médio subiu para 2,31, e 4,103 deles sofreram acidente vascular cerebral.

Além disso, passadas duas décadas, 64% dos participantes desenvolveram pelo menos um novo fator de risco cardiovascular. A maioria apresentou aumento em sua pontuação de risco.

Os pesquisadores também descobriram que os participantes que apresentaram aumento na pontuação individual de risco estavam mais propensos a sofrer um AVC em comparação com aqueles que mantiveram o índice estável.

Para os autores, o resultado do estudo alerta que o crescimento do risco de AVC é mais comum com o passar dos anos do que a manutenção do índice. Eles recomendam que pacientes com fibrilação atrial sejam avaliados com maior frequência e que as abordagens terapêuticas sejam revisadas de acordo com a necessidade de cada indivíduo. O ajuste do tratamento, na visão dos pesquisadores, pode evitar desfechos negativos e melhorar os resultados de saúde.