Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

18/03/2018
Para reduzir danos à saúde, Estados Unidos pretendem alterar a composição do cigarro

cigar.jpg

Crédito da imagem: Depositphotos

Apesar de todos os esforços para reduzir o consumo de cigarros, o tabaco ainda é a principal causa de morte prevenível nos Estados Unidos, responsável pela morte de mais de 480 mil morte-americanos todos os anos – o equivalente a 1.300 óbitos por dia. O dado é da FDA, o Food And Drug Administration, entidade que regulamenta os medicamentos no país.

O órgão acredita que chegou ao limite das medidas já testadas para diminuir o impacto do tabagismo entre a população e, por isso, lançou um plano de ação para reduzir a quantidade de nicotina no cigarro a níveis muitos baixos ou com quantidade tão insignificante que não poderia causar vício.

O uso de aromatizantes, que podem tornar o produto mais atraente, também deverá ser limitado. Nesta sexta-feira, 16 de março, foi aberta uma consulta pública que, durante 90 dias, poderá receber contribuições.

Conforme Scott Gottlieb, médico à frente da FDA, o consumo de cigarro no mundo custa cerca de 300 bilhões de dólares ao ano à saúde pública e à produtividade. É, de acordo com ele, o único produto legal que, com o tempo, irá matar quase metade dos seus consumidores.

Para chegar a essa nova ação, a entidade revisou estudos que demonstram o papel da nicotina na manutenção do vício. Entre as pesquisas relacionadas, uma mostra que 5 milhões de fumantes deixariam o cigarro após um ano da implementação de um produto com baixa nicotina.

Outro levantamento estima que 33 milhões de pessoas deixariam de se tornar fumantes regulares até 2100 com a redução drástica da nicotina. 

Agora, a medida deve seguir um longo caminho regulatório até chegar a uma decisão definitiva. Neste processo, um painel de especialistas deverá ser montado para desenvolver um plano detalhado e construir um relatório que avalie com profundidade os impactos da proposta.

Aspectos como a quantidade de nicotina apropriada para a proteção da saúde pública, o ritmo em que a mudança deverá ser implementada e os riscos de que surja um comércio ilegal de cigarros e as formas de combatê-lo deverão ser esclarecidos.