Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

08/02/2018
Estudo analisa impactos da cirurgia bariátrica na saúde cardiovascular

obesi.jpg

Crédito da imagem: Internet

Publicado no Journal of the American College of Cardiology, o artigo reuniu as evidências mais recentes sobre os benefícios da cirurgia de redução do estômago na saúde cardiovascular. Entre as descobertas relatadas no texto, os autores destacam os efeitos do procedimento sobre o diabetes.

Conforme os pesquisadores, pacientes submetidos à cirurgia podem controlar os níveis de açúcar no sangue de forma mais eficiente do que com o uso de medicamentos. Estudos também demonstram a possibilidade de reverter o diabetes tipo 2 a partir da perda de peso e de mudanças no estilo de vida. Por esta razão, a publicação apoia as diretrizes que indicam a cirurgia em adultos com obesidade leve e diabetes tipo 2 sem controle.

Sobre os impactos da cirurgia bariátrica na pressão arterial e no colesterol – fatores de risco estabelecidos para doenças cardíacas –, os pesquisadores afirmam que novos estudos são necessários para compreender os efeitos em longo prazo.

O texto também esclarece que, apesar dos benefícios associados ao procedimento de redução do estômago, alguns aspectos sobre a cirurgia precisam ser considerados: nem todas as pessoas obesas podem ser submetidas ao procedimento porque envolveria riscos sérios – caso de pacientes com condições médicas complexas ou obesidade mórbida, por exemplo.

A cirurgia também não costuma ser a primeira abordagem no tratamento para a perda de peso. Exercícios, dieta e medicamentos, quando necessários, podem ajudar na redução de peso e na melhora da saúde. A cirurgia pode ser vista como uma opção somente depois que outras estratégias foram testadas e falharam.

Os especialistas chamam a atenção, ainda, para os diferentes tipos de cirurgia. Embora todas tenham o mesmo objetivo, cada uma funciona de formas específicas, com distintas indicações, riscos e benefícios. Eles acreditam que procedimentos para perda de peso se tornarão cada vez mais importantes no tratamento da obesidade e na melhora da saúde cardíaca, especialmente pelas altas taxas mundiais.