Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

04/03/2010
Coração de atleta

A prática regular de atividade física intensa está associada a alterações não patológicas na morfologia cardíaca. O diagnóstico diferencial com cardiomiopatia arritmogênica do ventrículo direito (CAVD) constitui um problema frequente.

O periódico British Journal of Sports Medicine publicou estudo, realizado na Universidade de Pádua (Itália), que investigou as diferenças clínicas e instrumentais não invasivas entre indivíduos afetados por CAVD e atletas. A amostra consistiu em três grupos: 40 pacientes com CAVD, 40 atletas e 40 controles.

Nos resultados encontrados, o eletrocardiograma de 12 derivações foi anormal em 62% dos pacientes com CAVD versus 7,5% dos atletas e 2,5% dos controles (p < 0,0001). Arritmias ventriculares e potenciais tardios foram mais comuns nos indivíduos com CAVD (p < 0,0001). A espessura da parede e os diâmetros diastólicos finais do ventrículo esquerdo foram maiores nos atletas. Atletas e pacientes com CAVD apresentaram ventrículo direito (VD) mais alargado que controles. O trato de saída do VD foi significativamente maior nos indivíduos com CAVD, enquanto a fração de ejeção foi significativamente menor.

Portanto, uma avaliação clínica acurada e instrumental não invasiva, incluindo ecocardiograma, é capaz de distinguir alterações do VD típicas da CAVD das alterações detectadas em atletas, em consequência da atividade física intensa.

Fonte: British Journal of Sports Medicine, Volume 44, 2010, Pages 148-154.