Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

29/08/2017
Câncer, infarto e AVC: data evidencia os riscos do cigarro

smokingbig.jpg

Crédito da imagem: Internet

Os dados assustam: o cigarro está na origem de 90% dos casos de câncer de pulmão do mundo, está associado a outros 14 tumores malignos, é um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares, é composto por mais de 4,7 mil substâncias químicas, das quais 250 são prejudiciais e 50 são conhecidas por causar câncer. 

29 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Fumo, data instituída em 1986 pela Organização Mundial da Saúde para concentrar campanhas de conscientização sobre os malefícios do cigarro e, também, sobre os benefícios de parar de fumar.

O caminho do Brasil é longo. Segundo uma pesquisa publicada pela revista científica The Lancet, o país ocupa a oitava posição no número absoluto de fumantes. O Ministério da Saúde destaca que 428 pessoas morrem por dia no Brasil por causa do tabagismo. 156 mil mortes poderiam ser evitadas a cada ano no país.

Em sua campanha, o Instituto Nacional de Câncer ressalta que tabagismo é dependência química e que, portanto, parar de fumar pode gerar diversos sintomas de abstinência.

O INCA sugere duas formas de largar o cigarro: a parada imediata – opção mais recomendada, em que se escolhe uma data para parar de fumar – e a parada gradual, em que diariamente se reduz o número de cigarros e se adia o horário de fumar o primeiro cigarro do dia, até zerar, num processo que não deve levar mais de duas semanas.

O Instituto esclarece, ainda, que Unidades Básicas de Saúde oferecem auxílio gratuito a quem deseja acompanhamento para abandonar o tabagismo.