Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

10/08/2018
Bom condicionamento físico na meia-idade diminui risco cardiovascular e de depressão

condicionamento Getty Images.jpg

Crédito da imagem: Getty Images

Publicado no JAMA Psychiatry, o estudo utilizou dados coletados desde 1970 pelo Cooper Center Longitudinal Study (CCLS), realizado pelo Cooper Institute, de Dallas, nos Estados Unidos.

Os pacientes incluídos no CCLS eram, na maioria, indivíduos brancos não-hispânicos, com muitos anos de escolaridade e com acesso a serviços de saúde. No total, foram considerados 17.989 pacientes, dos quais 80,2% eram homens, com média de idade de 50 anos quando foi realizado o exame da meia-idade, e que tinham uma cobertura do Medicare, o seguro de saúde pago pelo governo dos EUA a pessoas idosas.

Os pesquisadores associaram as informações de saúde dos disponíveis no banco de dados do CCLS e com as do Medicare. O acompanhamento foi realizado desde a data de início da cobertura do Medicare, em janeiro de 1999, até o óbito do participante ou a conclusão do seguimento do estudo, em dezembro de 2009.

O nível de condicionamento cardiorrespiratório foi mensurado através de teste de esforço em esteira realizado com supervisão médica. O tempo de cada participante na esteira foi categorizado em quintis específicos por idade e sexo. Quintil 1 representava baixo condicionamento físico; quintis 2 e 3, condicionamento moderado; e quintis 4 e 5, bom condicionamento físico.

A presença de depressão foi verificada nas fichas dos pacientes junto ao seguro de saúde, enquanto a informação de mortalidade foi averiguada no Índice Nacional de Mortes. 

Comparados com pacientes na categoria de baixo condicionamento, aqueles na categoria de bom condicionamento tinham menor média de índice de massa corporal (IMC), menor pressão arterial sistólica, e níveis médios mais favoráveis de colesterol e glicemia de jejum.

Ajustados a fatores de risco tradicionais como idade, sexo, pressão arterial, nível de colesterol, IMC e tabagismo, os resultados indicaram que pessoas com bom condicionamento físico apresentaram um risco 16% menor de depressão e 61% menor de mortalidade por doença cardiovascular em comparação com as de baixo condicionamento físico.

Entre os indivíduos com diagnóstico de depressão, o bom condicionamento físico foi associado a um risco 56% menor de morte por razões cardiovasculares. O bom condicionamento físico foi benéfico tanto para mulheres como para homens.

Embora o estudo tenha analisado três desfechos separadamente – depressão e mortalidade por doença cardiovascular com e sem depressão prévia -, não foi possível determinar se o bom condicionamento físico reduziu o risco de depressão e de mortalidade ou se baixar o risco de um dos fatores acabou por afetar o outro.

Da mesma forma, o papel da atividade física como tratamento da depressão não foi avaliada nesta pesquisa.

Para os autores, a atividade física deve fazer parte de uma estratégia de proteção à saúde. Um estilo de vida que inclua a prática de exercícios desde o início da vida adulta pode, segundo eles, ser muito útil na terceira idade.