Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

15/05/2013
Animais de estimação podem contribuir para a saúde do coração

caocoracao.jpg

Donos de animais de estimação concordam que a companhia oferece conforto e amor. E, de acordo com um estudo da American Heart Association (AHA) divulgado no início deste mês, ter um animal de estimação também pode ajudar a proteger o coração.

Há anos essa relação é investigada em pesquisas científicas. Um dos aspectos já mencionados é que os donos de animais costumam ser mais saudáveis – sendo a obesidade e o sedentarismo um dos principais desafios da saúde nos Estados Unidos, levar os cães para passear diariamente ou higienizar seus espaços, por exemplo, tornam-se atividades físicas. Outro ponto já sugerido é que os animais ofertam uma sensação de conforto emocional que pode ajudar a reduzir os níveis de estresse.

Neste novo estudo, os especialistas revisaram 36 pesquisas que avaliaram condições como pressão arterial, atividade física, obesidade e saúde do coração em pessoas com e sem doença cardíaca preexistente.

Com base nas evidências, os pesquisadores reconhecem que ter um animal de estimação provavelmente está associado à diminuição do risco de doenças cardíacas. No entanto, não aconselham que se tenha um apenas para este fim.

Ocorre que, embora o levantamento mostre que o animal de estimação possa ser associado à melhor saúde, ainda não está claro se esta é uma relação causal. Não é possível, portanto garantir se pessoas predispostas a ter animais são, em média, mais saudáveis, ou se o ato de ter um animal ocasiona essa mudança.

A Associação dará continuidade às pesquisas para compreender melhor o tema. Se os estudos confirmarem que possuir um animal de estimação leva diretamente a uma redução nos riscos de doenças cardíacas, a interação saudável com animais pode representar uma nova abordagem para melhorar a saúde do coração. Por enquanto, são necessários mais subsídios para que profissionais da saúde indiquem o convívio como tratamento complementar.