Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

29/11/2018
9 benefícios à saúde de ter animais de estimação

caes-e-gatos.jpg

Crédito da imagem: Internet

Segundo pesquisas, ter animais de estimação traz uma série de benefícios à saúde – inclusive a cardiovascular. Acompanhe a relação organizada pelo portal Exame. 

1. Reduz o estresse

Um estudo realizado Universidade Estadual de Nova York, nos Estados Unidos, mostrou que os bichos de estimação são ótimas companhias para combater o estresse. O experimento testava os níveis de tensão de pessoas em quatro situações: sozinhas, com seu parceiro, com seu animal e com seu parceiro e o animal. Eles descobriram, então, que o momento de tranquilidade foi com o pet.

2. Diminui a depressão

Diversas pesquisas já mostraram que a convivência reduz a sensação de solidão, a ansiedade e a depressão. Isso porque, passar parte do dia com um bicho faz com que o homem produza hormônios como a ocitocina, a prolactina e a serotonina, que melhoram o humor.

3. Reduz o risco de alergias em crianças

Estudos feitos por pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Madison demonstraram que as chances de uma criança ter alergias são 33% menores com um bicho de estimação. A convivência faz com que os pequenos desenvolvam um sistema imunológico mais forte. Esse efeito, no entanto, não acontece entre adultos que já sofrem de alergias.

4. Faz bem para o coração

Segundo investigações dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e do Instituto Nacional de Saúde (NIH), nos Estados Unidos, criar um bicho em casa ajuda a reduzir a pressão sanguínea, o colesterol e o nível de triglicérides. Consequentemente, servem de prevenção contra ataques do coração e outras doenças cardiovasculares.

5. Ajuda a detectar câncer

Cães podem ser úteis aos donos e médicos na detecção de câncer em diversas regiões do corpo, como pele, bexiga, pulão, mama, ovário e colo. O diagnóstico é feito ao farejarem o local doente e é possível que os cachorros sejam até treinados para fazer esse tipo de descoberta. De acordo com especialistas, a precisão deles pode variar entre 80% e 90%. 

6. E hipoglicemia

Segundo um estudo conduzido pela Universidade Belfast do Queens, na Irlanda, e pela Universidade de Lincoln, na Inglaterra, diabéticos ou outras pessoas que têm bruscas quedas de níveis de açúcar no sangue podem treinar seus cães para ajudar a evitar crises de hipoglicemia. A pesquisa indica que cachorros seriam capazes de detectar uma redução do índice glicêmico ao perceber sinais diferentes de comportamento e ao sentir a liberação de feromônios por meio do suor. Apesar disso, ainda não há uma conclusão sobre o tema.

7. Ajuda no emagrecimento

Passear com o cachorro é bom para ele e para o dono, de acordo com levantamento do Instituto Wellness, no Hospital Northwest Memorial. As caminhadas com o pet são boas para manter e perder peso, e, segundo outro estudo do Instituto Nacional de Saúde (NHI), dos Estados Unidos, os responsáveis pela saída diária são menos propensos à obesidade, se comparados com quem não possui animal de estimação.

8. Gatos reduzem risco de AVC

Um estudo da Universidade de Minnesota afirma que gatos podem ser benéficos para prevenir acidente vascular cerebral, infarto e outras doenças cardiovasculares. O trabalho foi feito por 20 anos com quase 4.500 pessoas e percebeu-se que aqueles que não criaram os bichanos tiveram risco 40% maior de morrer de ataque do coração e 30% maior de perder a vida por uma doença cardiovascular, em comparação com os donos de gatos. Esse resultado foi percebido apenas entre pessoas que tinham essa espécie, não incluindo os donos de cães. Apesar de não explicar a causa, os cientistas acreditam que esse poder está no fato de os gatos ajudarem a relaxar e reduzir a ansiedade de seus criadores.

9. Gato ajuda contra asma

Um trabalho realizado na Universidade de Virginia, mostrou que crianças que são criadas em contato com bichanos têm mais resistência ao desenvolvimento de asma. O mecanismo é o mesmo das alergias: ao conviver com o animal, o sistema imunológico fica mais forte e há menos riscos de ter o problema.