GALERIA DE FOTOS

Revascularização Miocárdica

Revascularização Miocárdica (RM) é um tipo de cirurgia cardíaca na qual uma ou mais coronárias obstruídas recebem pontes com enxertos de safena e/ou de artéria mamária, com o objetivo de restabelecer o fluxo sanguíneo para as áreas comprometidas do coração.

Revascularização Miocárdica sem Circulação Extracorpórea (RM sem CEC)

Esta técnica não utiliza a máquina de Circulação Extracorpórea (coração-pulmão artificial), de forma que as pontes são realizadas com o coração batendo.

Os cirurgiões e os anestesistas têm absoluto controle das funções do coração durante o procedimento.

Para isso, além da imprescindível experiência da equipe, são necessários instrumentos posicionadores e estabilizadores que facilitam o acesso às coronárias, inclusive nas áreas mais remotas e posteriores do coração.

Assim, é possível fazer a revascularização completa, ou seja, o implante de tantas pontes quantas forem necessárias.

Fotos: Dr. Dario Frota

 

Clique na imagem para ampliar.

O braço flexível posicionador, por intermédio da sucção aplicada à sua extremidade, adere firmemente ao epicárdio e permite a   visualização de todas as faces cardíacas. No mesmo ato cirúrgico, foi realizada uma ponte de safena isolada para o ramo descendente posterior da coronária direita.   Observar o grau de luxação do coração As mesmas anastomoses vistas com maior aproximação Vista desde a ponta do coração: implante da ATIE (mamária) para descendente anterior e pontes para diagonal e marginal obtusa Detalhe mais aproximado dos enxertos, vistos desde a ponta do coração. Neste outro paciente, foram realizadas cinco pontes: ATIE para a DA, ponte de safena isolada para o ramo diagonal, ponte de   safena sequencial para os ramos diagonalis e marginal e, por fim, uma ponte de safena isolada para o ramo descendente poster Vista posterior: visualizam-se as pontes de safena para a descendente posterior e a sequência para a diagonalis e a marginal O braço flexível posicionador permite a elevação da ponta do coração acima da parede torácica anterior e a visualização ampla das faces cardíacas Visualiza-se o implante da artéria torácica interna esquerda (mamária) para a coronária descendente anterior, e das pontes de safena para os ramos diagonal e marginal obtusa É frequente o uso de enxertos compostos, como por exemplo este, em que um segmento de veia safena é anastomosado proximalmente na ATIE Enxerto composto: a ATIE revasculariza a parede anterior (DA) e o segmento de safena pode ser anastomosado numa marginal, ou sequencialmente atingir o ramo descendente posterior. O fluxo proximal único da ATIE é suficiente para nutrir todos estes seg A técnica sem CEC permite a completa luxação do coração e a revascularização posterior com ponte de safena em Y para os ramos descendente posterior e ventricular posterior (póstero-lateral) da CD No mesmo paciente da foto nº 12, foram realizados implantes de ATIE para a DA e pontes de safena para os ramos diagonal e marginal obtuso

Veja mais: